odp.abr

Instituição registra aumento expressivo no volume atendimentos a micro e pequenas empresas desde o início da crise econômica causada pela pandemia do coronavírus

Em meio à crise causada pela pandemia do coronavírus, o Sebrae tem sido um forte aliado dos pequenos negócios. Desde os primeiros dias, após a chegada da doença ao país, a instituição se dedica à produção de conteúdo orientador para os donos de pequenos negócios e à formulação de políticas públicas que possam ajudar empreendedores a superar os impactos econômicos da crise. Dados de um estudo recente feito pelo Sebrae revelam que, somente de janeiro a abril, mais de 1,4 milhões de pessoas físicas e jurídicas receberam atendimento especializado para saber como lidar com a situação atual. O levantamento aponta que houve 195 mil atendimentos a mais, em relação ao mesmo período do ano anterior.

Dentre as principais preocupações do Sebrae, os destaques têm sido para a orientação na gestão financeira das empresas e para a melhoria do acesso a crédito pelos donos de pequenos negócios. O Guia de Gestão Financeira do Sebrae, lançado em março, logo após o anúncio da pandemia, busca apoiar os donos de pequenos negócios nesse momento de instabilidade econômica. O documento traz orientações sobre como os empreendedores podem realizar um controle mais preciso das finanças, diante de complicações nos negócios no atual cenário, que envolvem redução no movimento de clientes, faturamento menor, redução na produção, dentre outros.

Acesso a crédito

Pensando em facilitar e ampliar o acesso dos pequenos negócios ao crédito, o Sebrae tem desenvolvido iniciativas em diferentes frentes de atuação. Uma delas é a disponibilização de recursos do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe), para apoiar as empresas que precisam de capital de giro. Um convênio firmado com a Caixa Econômica Federal deve viabilizar a concessão de aproximadamente 7,5 bilhões em operações de crédito até o final do ano.

Além de entrar com os recursos que funcionam como um aval que substitui as garantias demandadas pelos agentes financeiros, o Sebrae também vai oferecer total assistência aos empresários, desde o momento da obtenção até a liquidação do crédito, com orientação para a melhoria da gestão financeira. "Serão operações de crédito assistidas, com a orientação da instituição funcionando como um fator mitigador do risco aos agentes financeiros”, explica Melles, explicando que as Micro e Pequenas Empresas também receberão orientações, cursos, consultorias, capacitações, dentre outros serviços. Além da Caixa, o Sebrae mantém convênios com outras 11 instituições financeiras para uso dos recursos do Fampe e está estudando a inclusão de novos parceiros para ampliar o volume de operações.

Monitoramento de linhas de crédito - Outra ação implementada pelo Sebrae foi a criação de uma plataforma online que monitora as principais linhas de crédito para micro e pequenos negócios disponibilizadas por diferentes instituições financeiras. Apenas entre os meses de março e maio de 2020, mais de 3,9 mil empreendedores já fizeram downloads na página. A proposta do serviço é levar às micro e pequenas empresas informações qualificadas e úteis para que o empreendedor tenha elementos para a tomada de decisão consciente. Em sua 7ª atualização, a plataforma já identificou 123 linhas de crédito, envolvendo 22 estados da federação, 05 instituições públicas federais, 1 banco privado, 27 bancos regionais, agências de fomentos e Oscips de microcrédito, 5 Sistemas cooperativos e 9 cooperativas singulares.

EmConta - Criada pelo Sebrae, a ferramenta auxilia pequenos negócios no momento de crise. O empreendedor seleciona o que precisa em www.emconta.sebrae.com.br (conta corrente, máquina de cartão de crédito ou contabilidade digital) e compara as opções oferecidas pelo mercado. A partir do perfil da empresa, os algoritmos mapeiam as instituições financeiras que prestam o serviço, quanto custa e suas funcionalidades.

Dicas de Gestão

É importante que o empresário faça uma análise cuidadosa da gestão da própria empresa, verificando os custos fixos, como aluguel, e os variáveis, que dependem do faturamento atual do negócio. Para ajudar os donos de pequenos negócios a avaliar as necessidades do negócio e, caso necessário, escolher uma linha de crédito, o Sebrae destaca quatro importantes recomendações:

1 - Muitos bancos já tomaram a iniciativa de prorrogar automaticamente por 60 dias os contratos vigentes dos clientes. Outros estão entrando em contato com os clientes até mesmo por aplicativos de mensagens para negociar novos prazos das dívidas. Converse com o seu banco e analise sua situação.

2 - Avalie muito bem se estiver pensando em demitir um colaborador neste momento, pois uma demissão inclui custos na rescisão e, quando a economia voltar à normalidade, provavelmente você terá um novo custo para contratar.

3 - Se fizer um comparativo entre duas linhas de crédito semelhantes e ficar na dúvida, avalie cada parâmetro (prazo, carência, garantias exigidas, juros).

4 - Não deixe de levar em consideração o momento pós-Coronavírus. Dependendo do seu ramo de atividade, poderá levar um pouco mais de tempo para retomar o seu negócio ao patamar anterior. Então, o prazo de carência oferecido pelas instituições financeiras deve ser muito bem avaliado na hora de escolher entre uma ou outra oferta.

Comentários